O Candomblé é uma religião africana trazida pelos escravos negros para o Brasil, no final do século XVI (aproximadamente de 1700à 1850), quando chegaram os primeiros navios negreiros, e aqui foi cultuada com total diferença de seu habitat natural, aonde ocorriam manifestações que eram específicas de cada região, que resultavam até em diferenças de culto, onde os mesmos Nkises(Orixás) possuíam nomes absolutamente diferentes que variavam de região para região, e desenvolveu-se aqui de maneira própria.

Pesquisadores afirmam ter havido na África mais de 600 deuses, chegando aqui aproximadamente 50, e embora não seja de concordância de muitos, 16 são os mais conhecidos.

Essa discordância se dá devido a não existência de registros oficiais, porque dentro desta cultura tradicionalista sempre foi e é até hoje passado oralmente de geração pra geração, preservando os segredos do culto especialmente para os seus Sacerdotes.

Não sendo encontrado obra sobre os mitos Nigerianos, Angolanos, entre outros Africanos, os estudiosos Europeus e Americanos, escreveram tudo que pesquisaram junto aos Sacerdotes, de acordo com aquilo que eles foram lhes revelando, dentre várias viagens feitas por estes pesquisadores, entre Nigéria, Angola e Brasil, mais especificamente Salvador/Bahia, onde muitos descendentes negros africanos permaneceram fiéis as crenças de seus antepassados, comemorando durante as maravilhosas cerimonias os seus sagrados rituais.